PROGRAMA QUALIDADE NA RECEPÇÃO

CADASTRE-SE Lembrar senha


Estresse e qualidade de vida no ambiente de trabalho

O ambiente de trabalho trouxe inúmeros desafios para a mulher. Como sobreviver com características como sensibilidade, compreensão e fragilidade, num ambiente onde rapidez, competição, assertividade, pragmatismo e força sempre foram valorizados? Empatia e colaboração, embora desejável, nem sempre são consideradas com a mesma importância que as características geralmente atribuídas ao sexo masculino.

Como obter sucesso profissional, ver os filhos bem encaminhados, cuidar da casa e ainda ter tempo para cuidar da aparência e se manter atraente? Qual o equilíbrio dessa equação e como conciliar esta nova realidade na vida da mulher?

Não é a toa que o estresse feminino tem se agravado e vem aparecendo como um vilão implacável para a saúde e a qualidade de vida da mulher. É consenso entre os pesquisadores que o estresse está mais intenso e grave na mulher do que no homem. A pressão por resultados no trabalho, é, no caso do “sexo frágil”, igual ou maior que a do homem. Tanto quanto ou mais que o homem, a mulher tem que provar competência para ter credibilidade e respeito na função que exerce, mesmo que essa seja uma função tradicionalmente exercida por ela.

Muitas vezes, na tentativa de demonstrar competência, a mulher se perde e se afasta justamente de sua sensibilidade, tão necessária para as relações de trabalho atuais e que podiam ser o seu diferencial no mercado atual. Essas características seriam essenciais para humanizar o ambiente organizacional, tão hostil, e assim torná-lo mais saudável.

A influência feminina poderia, se empregada de forma estratégica, fazer com que os profissionais se sentissem mais respeitados, motivados e produtivos, através dos programas de qualidade de vida que começam a ser desenvolvidos. As empresas que desejarem ser sustentáveis, precisam investir no bem estar de seus colaboradores.

A busca pelo equilíbrio não possui uma solução fácil. O momento é de sensibilizar o mundo corporativo para que os processos de trabalho se contraponham de uma maneira mais justa, ou correr o risco de caminhar para o caos generalizado. A corrida por resultados a qualquer preço, precisa dar espaço para o respeito, e a proteção do espaço de cada um. Quando se agrega diferenças, acrescenta-se ao produto outros valores igualmente fundamentais.

Há um caminho a percorrer para que a mulher consiga estar inteira para trabalhar sem a ameaça de ser vista como improdutiva. O segredo é a inclusão do respeito onde cada um consiga, com segurança, ocupar o seu espaço.


< VOLTAR

Últimas